11 novembro 2005

Já começou - Agora é acompanhar !!!



Boa tarde, amigos.

Estamos nos preparando para viajar no próximo domingo dia 13 de novembro para participarmos da VII Mostra Cariri de Artes que começa hoje dia 11 e vai até dia 19. Infelizmente vamos apenas em dois artistas, pois nossa amiga e atriz Lilian Soarez que nos acompanharia nesta viagem não poderá estar conosco. Tentamos um patrocínio com uma grande multinacional que poderia nos viabilizar as passagens, entretanto não tivemos sucesso - necessitávamos de apenas 03 passagens aéreas de ida e volta para Fortaleza, enfim - não deu. Sem problema, pois no Ceará o sucesso virá em dobro. Dessa forma, vamos sim, porque o show não pode parar. Levamos conosco o grande amor e respeito que temos por nossa companheira de trabalho que fica aqui na torcida.

Lili: beijo.

Conheça a programação geral da mostra através do link abaixo ou na própria imagem da mostra.

http://www.sesc-ce.com.br/content/aplicacao/SESC-CE/vii_mostra_cariri/index.htm


07 novembro 2005

Pré - estréia "Calendário para Ocas Histórias"




Esta poderia ser a história de qualquer um de nós, pessoas comuns...

Quando eu resolvi morar sozinho. Eu pensava no sossego de ter um espaço só meu, onde eu pudesse arrumar as coisas do meu jeito, fazer própria comida, sair de manhã e ter a certeza que, quando voltasse, tudo estaria no meu lugar. Nunca pensei num apartamento muito grande. Besteira. Eu queria um apê que desse para eu tomar conta sozinho, sem me perder na organização. Quando eu disse para minha mãe que eu tinha alugado um apartamento ela falou das dificuldades que eu ia enfrentar, das despesas, da faxina, da roupa pra lavar, mas de tudo que ela disse tem uma coisa que eu nunca esqueci. “Meu filho, a solidão faz a gente pensar muita besteira”. Isso eu nunca esqueci.

Texto de um dos personagens

“Calendário para Ocas Histórias” trata da solidão na contemporaneidade a
partir da história de dois sujeitos que moram no mesmo prédio, vizinhos de apartamento e que até então nunca haviam se encontrado: Ivan e Clara.
Em um feriado vivem um breve encontro e através deste demonstram que na raiz de seus sofrimentos e atos está a necessidade de compartilhar.

Espetáculo resultado de processo colaborativo
Elenco

Clara.........................................Lílian Soarez
Ivan...........................................Alexandre D’Angeli


Texto
Lilian Soarez e Alexandre D’ Angeli
Poema “F for Fake” de Frederico Barbosa

Assessoria na Dramaturgia
Ivana Arruda Leite

Iluminação, Operação de som e luz
Andréa do Amparo

Sonoplastia, cenografia, figurino e adereços
Andréa do Amparo, Lílian Soares, Alexandre D’Angeli e Rodrigo Bueno

Desenhos, animação e vídeo
Rodrigo Bueno

Produção Executiva
Andréa do Amparo

Produção Geral
ânima Dois

Agradecimento:
Frederico Barbosa (Diretor da Casa das Rosas- Espaço Haroldo de Campos de Poesia), especialmente, pela concessão de uso do poema “F for fake” .
Todos os funcionários da Casa das Rosas.

04 novembro 2005

VII Mostra SESC Cariri das Artes

VII Mostra Sesc Cariri das Artes
Nove dias de artes na Região do Cariri

(02 Nov 2005)

A força da tradição popular em contato com produções artísticas contemporâneas de vários pontos do País (e de fora dele). Durante a VII Mostra Cariri das Artes, que acontece de 11 a 19 de novembro, esses encontros vão tomar as ruas, praças, teatros, clubes e galpões de Crato, Juazeiro do Norte e Nova Olinda (pólos centrais), além de outras 19 cidades por onde a mostra pede passagem, levando fragmentos da extensa programação.

Iniciada em 1999 como Mostra Sesc Cariri de Teatro, o projeto foi crescendo, incorporando novos parceiros e ampliando sua abrangência para além das artes cênicas. Agora, em 2005, ela passa a se chamar Mostra Cariri das Artes, incluindo como co-realizadora a Secretaria de Cultura do Estado do Ceará (Secult).

Pela primeira vez, também, a Mostra será dividida em cinco núcleos: Artes Cênicas, Música, Literatura, Artes Plásticas e Audiovisual. De acordo com Dane de Jade, coordenadora do projeto, cada um deles se inter-relaciona com os demais, através de diversos encontros multidisciplinares, estimulando os intercâmbios entre o público e artistas de diversos campos.
Ao todo, serão cerca de 120 grupos artísticos, da Região do Cariri, de diversas cidades cearenses, de 18 estados do País (Alagoas, Bahia, Distrito Federal, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe) e três atrações internacionais (Bélgica, México e Turquia).

Um dos destaques da programação é a Mostra de Tradição Popular, que acontecerá todos os dias, às 16 horas, na Praça da Sé, no Crato. Serão 32 grupos, de todo o Ceará, que trazem à tona as matrizes culturais nordestinas, com Reisados, Maneiro Paus, Bandas Cabaçais, Bois, Rabequeiros, Cocos, Lapinhas, Congadas, Penitentes.

De outros países, desembarcam na Mostra: os espetáculo de dança Dervish, do turco Zyia Azazi, e Sketches For, do cearense radicado na Bélgica Cláudio Bernardo; e os clowns do The Pambazos Bros (México) que mostram mágica, humor e malabarismo em Magikamerluza.
A diversidade da atual produção brasileira poderá ser conferida com apresentações vindas das cinco regiões do País, como: teatro de bonecos com “Molloy, o fim está no começo e no entanto continua-se”, do grupo Anima Dois (SP), “O Incrível Ladrão de Calcinhas” e “O Velho Lobo do Mar”, da Trip Teatro de Bonecos (RS); teatro mambembe em “A Caravana da Ilusão”, do Teatro Mosaico (MT); a relação dos homens com os orixás no espetáculo “Iaô, o caminho dos mistérios”, com Tapete Criações Cênicas (MA); palhaços e teatro de rua, com “A Era Clown” (BA), “O Guarda-Chuva de Prata” (RN) e “Inquérito para saber se o homem ajuda o homem” (RJ); arte circense, com “Cenas Cotidianas” (BA) e “Intermezzo”, do Teatro de Anônimo (RJ).

No núcleo musical, o ritmo e a riqueza poética da música pernambucana, com a rabequeira Renata Rosa, que apresenta o disco “Zunido da Mata” (sucesso em turnê pela Europa) e Treminhão, que tem como referências desde o Movimento Armorial até o Jazz; os paraibanos do Cabruêra; o “Tecnopop” de Lucas Santtana. Nas artes plásticas, as performances dos conceituados artistas Ernesto Neto, Laura Lima e Márcio Botner, que formam a Galeria “A Gentil Carioca” (RJ) e as pinturas rupestres do baiano Naum Bandeira.
A dinâmica da Mostra

A VII Mostra Cariri das Artes vai se dividir em três pólos centrais: Crato, que se transforma durante estes nove dias na “Aldeia Cariri”; Juazeiro do Norte, que põe peruca e nariz de palhaço para se apresentar como “Aldeia do Circo”; e Nova Olinda, que será sede da “Conexão Nordeste”.

Em cada uma dessas cidades, funcionarão os cinco núcleos (Artes Cênicas, Música, Literatura, Artes Plásticas e Audiovisual), que contemplam, além de apresentações, momentos de formação e reflexão sobre os caminhos da arte e da cultura, no Cariri e no mundo.
Núcleo de Artes Cênicas

- Mostra Menino Cariri: apresentações teatrais de vários estados do País voltadas para o público infantil.- Mostra da Tradição Popular: reúne mestres e brincantes de todo o Ceará, promovendo uma integração entre esses representantes das nossas matrizes culturais, o público local, visitantes e artistas de fora.
- Mostra Palco Brasil: espetáculos teatrais convidados de vários estados do País. Acontecerá em três locais, no Teatro da Urca, Teatro do Sesc Crato e na Quadra do Sesc Crato. Nesta última, serão reunidos os espetáculos mais experimentais, que não exijam espaços tradicionais.
- Mostra Palco Giratório: espetáculos de teatro e dança que integram o Palco Giratório, projeto de circulação em artes cênicas do Departamento Nacional do Sesc.
- Mostra de Teatro de Rua: espetáculos de vários pontos do País tomam ruas e praças da Região, convidando o público a interagir.
- Horário Maldito: acontecerá no Interneteatro, espaço que simula uma sala de bate-papo da Internet, em que qualquer pessoa poderá entrar e falar sobre teatro, artes e assuntos afins.
- Palco do Riso: espetáculos teatrais que se enquadram no gênero comédia.
- Circo: a cidade de Juazeiro do Norte vai se tornar um grande picadeiro, com quatro tendas em que acontecerão apresentações circenses durante todo o dia, retomando o clima dos antigos circos de cidades do Interior.
- Circuito Patativa do Assaré: projeto de circulação de alguns espetáculos que se apresentam durante a Mostra, passando pelas cidades de Salitre, Assaré, Barbalha, Missão Velha, Jardim, Brejo Santo, Barro, Santana do Cariri, Caririaçu, Potengi, Farias Brito, Milagres, Araripe, Campos Sales, Altaneira, Jati, Várzea Alegre, Iguatu e Viçosa do Ceará.
- Overdoze: no encerramento da mostra, uma maratona com doze horas ininterruptas de teatro, música, poesia e intervenções, dando um panorama de tudo que aconteceu durante os nove dias. Entre cada espetáculo, são servidos pratos italianos para o público.
- E mais: Performances, Debates, Intercâmbios, Encontros, Cortejos, Oficinas.
Núcleo Musical
- Banquete Dionisíaco: Apresentações musicais de vários pontos do País, com os mais diversos ritmos e estilos, do samba ao maracatu.- Farra no Cariri: O DJ Guga de Castro leva a “Farra na Casa Alheia”, famosa em Fortaleza, para as ruas do Cariri.- E mais: Ensaios, Lançamento de CD´s, Demonstrações Musicais.
Núcleo Literário

- Palavras Quentes: Atores, diretores, pesquisadores, músicos e artistas plásticos serão convidados a escolher uma palavra com cada letra do alfabeto, e puxar um debate sobre esse tema com o público presente.
- Roda do Kiri: Retomando a antiga tradição das reuniões promovidas pelos índios Cariri, a Roda do Kiri vai reunir artistas de todas as “tribos” para realizar performances poéticas e debater sobre temas ligados à literatura.
- E mais: Colóquios, Lançamentos de Livros, Trocas Literárias, Banco de Textos Teatrais, Encontro de Contadores de Histórias.
Núcleo Artes Plásticas
- Exposições: Cerca de 10 exposições de artistas de fora, reunindo fotografias, telas e performances, além de uma mostra da produção local. Em Juazeiro do Norte, onde funcionará a “Aldeia Circo”, haverá também uma mostra especial que conta a história do circo e busca desvendar a alma do palhaço.
- E mais: Encontros, Oficinas, Workshops, Feiras.
Núcleo Audiovisual

- Revista Eletrônica: Um grupo de atores da Cia do Público (RJ) produz um “telejornal” diário, transmitido ao vivo em praça pública, mostrando o dia-a-dia e os bastidores da Mostra.- E mais: Vídeos, Oficinas.
Informações: (85) 3452.9065
Mais informações através do site do SESC Ceará

01 novembro 2005

Final de ano e correria total


Bom dia a todos.

Estamos na correria para dar conta de tudo que temos que fazer e sem perder a energia para nossa viagem ao Cariri - Ceará para participar da VII Mostra de Teatro. A programação definitiva ainda não saiu, tão logo a veiculem, colocaremos no Blog.

Paralelamente estamos conduzindo os ensaios do espetáculo "Calendário para Ocas Histórias" que tem data prevista de estréia em fevereiro, mas já com pré-estréia confirmada nos dias 14, 15 e 16 de dezembro na Casa das Rosas - sempre às 20:00 horas.

____________________________________________________________________________


Vale salientar que estamos nos preparando para o centenário Beckett em 2006 e tem lançamento de Esperando Godot com nova Tradução, agora por Fábio de Souza Andrade, professor de teoria literária da Universidade São Paulo. Escrita em francês, a peça estreou em 1953 e se tornou um divisor de águas no teatro do século passado. Na história, dois vagabundos aguardam infinitamente, num descampado, a vinda do senhor Godot, que nunca aparece.O apêndice informativo da edição inclui seção de fotos de montagens históricas de Godot e sugestões de leitura complementar. O valor sai por R$ 48,00
Veja o que saiu na Ilustrada da Folha de São Paulo do dia 15/10/2005 por ADRIANO SCHWARTZ

Obra aproxima universo de BeckettChega quase a surpreender (positivamente) que, em um país de poucos leitores, as editoras estejam dando um tratamento tão especial a certos autores nos últimos anos. É o caso dos contos de Machado de Assis que vêm sendo lançados pela Martins Fontes, das obras de Nabokov pela Companhia das Letras, dos romances de Dostoiésvki pela ed. 34 ou dos textos de Samuel Beckett pela Cosacnaify. Deste, acaba de ser publicada a peça "Esperando Godot", com tradução e prefácio de Fábio de Souza Andrade, que já vertera para o português "Fim de Partida" e é também autor de um ótimo estudo sobre o escritor ("O Silêncio Possível", ed. Ateliê).Qualquer aproximação ao universo ficcional de Beckett é complicada. Até mesmo um resumo de seus textos se torna uma tarefa bem espinhosa, o que faz sentido ("não há nada para ver"), afinal ele dinamita sistematicamente as noções convencionais de narrativa e de gênero. Aqui, por exemplo, tem-se dois homens, Vladimir e Estragon, que não podem sair do lugar em que estão porque precisam esperar por um Godot que nunca chega. Enquanto isso, conversam sobre quase nada e interagem com uma outra dupla, Pozzo e Lucky, sobre a qual o leitor/espectador fica sabendo menos ainda. Não é por acaso que o título de um ensaio sobre a outra peça fundamental do escritor feito pelo filósofo alemão Theodor Adorno seja "Tentando Entender "Fim de Partida'"...Repetições constantes, referências às vezes veladas, às vezes não, às tradições literárias, filosóficas e religiosas, jogos de simetria e assimetria obsessivos, memórias apagadas quase instantaneamente povoam a peça e, ao mesmo tempo, convidam à interpretação. Como diz Estragon, "nada a fazer a respeito". Na verdade, não é bem assim, como prova a quantidade de livros e artigos que "tentam entender", com variadas doses de sucesso, a ficção do autor.Mas há também quem desista, ou melhor, escolha um atalho, como o renomado crítico beckettiano Raymond Federman, que, depois de mais de 40 anos tentando entender, chegou à conclusão de que não havia um "sentido oculto" a ser decifrado naqueles textos, não havia ali uma simbologia: (Vladimir) "Isso está ficando cada vez mais insignificante". (Estragon) "Não o suficiente. Ainda". Para ele, não se trata de significado, e sim de superfície, da forma da linguagem: Beckett pintava quadros com palavras, e sua obra, como Federman demonstra a partir da "exposição" de vários trechos, correria paralela à evolução da pintura no século 20, passando pelo neo-impressionismo, pelo expressionismo, pelo cubismo, pelo surrealismo, pelo expressionismo abstrato, por experimentações geométricas etc.Pode-se concordar, pode-se discordar, mas o exemplo dá a dimensão da importância desse irlandês que escrevia em inglês e francês e que agora, felizmente, está um pouco mais acessível a quem lê português.
Adriano Schwartz é professor de arte, literatura e cultura no Brasil da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP - Leste e autor de "O Abismo Invertido"
Estamos ouvindo The Doors - álbum Strange Days